!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

16 de novembro de 2008

Season Premieres #8

Gary Unmarried é uma comédia centrada em Gary Barnes (Jay Mohr) um recém-divorciado que precisa reaprender a namorar após um casamento de 15 anos e além disso ele ainda tem que lidar com a ex-esposa controladora e cuidar de dois filhos Tom, um garoto de 14 anos e Louise uma menina que ao em vez de popstars colado na parede do quarto cultiva um amor platônico por figuras como Gandhi, Al Gore e Che Guevara. A série começa três meses depois da separação oficial de Gary e Allison. No piloto ele namora uma mãe solteira, Vanessa, enquanto Allison revela que está noiva do ex-terapeuta deles, Dr. Krandall. Minha primeira impressão não foi das melhores. A série não é de tudo tão mal e tem algumas tiradas bem interessantes como as citações pops e tals, já vi 4 dos 7 episódios exibidos nos EUA, onde a série vai ao ar originalmente pela CBS, e deve dizer que a primeira impressão é realmente a que fica. Acho que eles até tentam, mas as piadinhas sem graça e o timing errado contribuíram para deixar Gary e sua turma numa corda bamba por um bom tempo. Mas felizmente, para os que gostaram da série, a emisora resolveu dar uma segunda chance e já ordenou uma temporada completa (com direito a 22 episódios, dos quais 6 já foram ao ar). Mas para mim já deu.


Chuck, depois de um final de temporada empolgante voltou há algumas semanas em uma Season Premiere um pouco fraquinha para o bom nível da primeira temporada. Mas, felizmente isso ficou só no primeiro episódio. Dos 6 exibidos, eu já vi 5 e devo dizer que essa temporada está tão legal quanto a passada, senão até mais. Para quem não sabe a história, uma pequena sinopse: Chuck Bartowski (Zachary Levi) abre um email com códigos subliminares com segredos do governo americano (Intersect), ele inconscientemente faz o download de toda uma base de dados sigilosos em seu cérebro. Agora, o destino do mundo está nas mãos improváveis de um cara que trabalha numa loja de eletrônicos. Ao invés de combater vírus de computador, ele agora terá que confrontar assassinos e terroristas internacionais junto com Casey (Adam Baldwin), e Sarah (Yvonne Strahovski). Essa temporada está cheia de participações especiais das quais três delas já foram ao ar. No episódio Chuck vs The Seduction tivemos a Melinda Clarke (Julie Cooper em The O.C.) no papel de uma espiã russa, se não estou enganado. Em Chuck vs The Cougars tivemos a Nicole Richie, que apesar de insosa no papel até rendeu um episódio bacana, com lutas legais entre ela e a Sarah. E por último e MUITO mais interessante, o ótimo Tony Hale, que participa de dois episódios no papel de um contratado da Buy More para intervir nos funcionarios e melhorar o atendimento da loja. Com tantas participações legais não dá para pensar em perder! Mas infelizmente apesar disso, a série não vai nada bem na audiência e para muitos é quase certa que essa será a última temporada do Chuck. Que pelo menos tenha um final digno!


Life on Mars, é um remake de uma série inglesa que conta a história do detetive Sam Tyler que trabalha para a policia de Nova York. Durante uma investigacao sobre um serial killer, Sam deixa sua namorada, Maya Robertson, que tambem é detetive, investigar o caso sozinha. Algo completamente inesperado acontece e ela desaparece. Ele por sua vez, devastado e em choque acaba sendo atingido por um carro, e vai parar na década de 70 sem nenhum ferimento... e ainda trabalhando para a policia de Los Angeles, cidade onde ele cresceu. Agora ele enfrenta a dificuldade em se integrar e ajustar a este novo mundo, sem as atitudes e tecnologias dos tempos atuais. Bom, a original eu não assisti. Então não posso fazer nenhuma comparação, mas posso garantir que essa versão é muito legal. Quando eu vi o pré-air há um tempo atrás não tinha tanta certeza, nem quanto a série original ser legal (já que não me empolguei com a história), quanto mais a versão Made In USA. Mas com o passar dos episódios, 6 já foram ao ar nos EUA e o blogueiro que vos fala já viu 5, a coisa fica incrivelmente interessante, porque além de uma storyline interessante (como diabos ele foi parar na década de 70) a série ainda apresenta casos que prendem a atenção, que são desenvolvidos muito bem e de alguma forma sempre tem alguma relação com a vida de Sam. Definitivamente uma das séries da nova temporada que vai entrar para o meu calendário fixo de série, isso enquanto a audiência dos EUA permitir.


****

Dessa vez vou me limitar a essas três séries, das quais uma vai se despedindo por aqui mesmo (Gary Unmarried), primeira e última vez que ela aparece por aqui, pelo menos eu acho. Então aproveita ndo o espaço que me resta quero aproveitar para me despedir de outra série: Fringe. Vi 5 episódios e para mim foi o suficiente. O Mr. Torrent trouxe o 6 para mim há algumas semanas, já até tentei assistir mas não consegui, sempre parava no meio e ia ver algum outro mais interessante. Sorry, J.J. mas não foi dessa vez que você conseguiu me conquistar novamente. A série é cheia de boas intenções mas pra mim não funcionou e acho que em parte pela química de elenco que para mim está longe de ser uma boa química. É isso, prontofalei. Bye Bye e beijosnãomeligapqjácansei.

7 comentários:

euseries disse...

Dessas eu só vi Gary. E, a série não é tão ruim assim, até ganhou um segunda temporada, se eu não me engano. Só não continuei a ver a série por falta de tempo mesmo.

Museu do Cinema disse...

Chuck é ruim demais. Sou curioso para conhecer essa FRINGE!

Marcel Gois disse...

Maurício, pois, não é tãão ruim, mas sei lá, não me ganhou, e como eu já tenho muitas para ver, deixei ela de lado por enquanto. E btw, o senhor ainda não me disse o que achou de Kath and Kim!! Foi tão ruim que nem mereceu comentário no blog?! kkkkkkkk
Abraço.

Cassiano, prefiro Chuck a Fringe. No começo até achei que não ia gostar de Chuck, mas depois que vi a primeira temporada toda entrei no clima da série. Mas Fringe pra mim já deu. =)

Kamila disse...

Bom, só pretendo assistir "Life on Mars", que parece ser uma série bem legal.

Hugo Bessa disse...

Não assisti nenhuma dessas. Preciso arrumar um tempinho pra ver.
Add vc nos meus favoritos.
abraço

Wally disse...

Curioso quanto à Fringe. Vindo de J.J. Abrams, deve ter algo bom na série.

Ciao!

Vinícius P. disse...

Continuo firme e forte com "Fringe", para mim foi a segunda melhor estréia da temporada (só perdendo para "True Blood", claro). Das demais, acompanho apenas "Chuck", que até agora está com a melhor temporada entre todas as séries cômicas desse ano.