!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

1 de novembro de 2008

Season Premieres #6

Kath and Kim: é (mais) uma versão americana de uma premiada série, dessa vez australiana. Estreou nos EUA dia 9 de outubro pela rede NBC e ainda não tem previsão para chegar no Brasil. A série mostra as confusões de duas mulheres, Kath e Kim, mãe e filha disfuncionais, vivendo no subúrbio da Flórida. Kath é a mãe, quarentona e divorciada, que finalmente pode dedicar um tempo para si própria e sua procura pelo amor. Kim é a filha de 20 e poucos anos e que se veste como uma adolescente de 16 e, achando pouco, ainda age como tal. Após separar-se do marido (igualmente infantil) Kim decide voltar a morar com a mãe, que agora namora Carl Rutter um homem decente, mas palhação, dono de uma loja de sanduíches no shopping. Bizarra, em um bom sentido. Desde a ambientação até os figurinos são bregas. Mas o humor da série é excelente e a escolha do elenco foi genial. A Selma Blair está simplesmente impagável no papel de Kim e o marido dela igualmente, chamando ela de dude a cada duas palavras! Já três dos quatro episódio exibidos e é um melhor que o outro. Agora essencial entrar no clima da série e se deixar levar em meio a tanta cafonice. As cenas das duas na boate gay foram das melhores até agora, junto com o concurso de penteados, porque além de tudo a Kath ainda é cabeleireira! Isso sem contar aquelas tiradas dos segundinhos finais que já rolou até um brinde ao aquecimento global!

My Own Worst Enemy: estrelada por Christian Slater e exibida originalmente pela NBC a série conta a história de Henry Spivey, um homem comum de classe média, que vive nos subúrbios, com sua esposa e dois filhos. Até aí tudo normal, porém Henry é na verdade Edward Albright, um espião que faz parte de um projeto no qual ele tem a possibilidade de ter sua vida de cidadão completamente separada da de espião. Edward é o contrário de Henry, a única coisa em comum, é o mesmo corpo. No começo a coisa é um pouco confusa, principalmente quando Henry começa a 'despertar' durante as horas de ação do Edward atrapalhando a conclusão do que normalmente seria uma missão bem sucedida. A série tem uma premissa super interessante e até agora muito bem desenvolvida. No primeiro episódio o foco foi apresentar a história, no segundo já com a coisa andando sobrou tempo para desenvolver os personagens e o fato de ser possível uma comunicação entre Henry e Edward, mesmo que não-instantânea, pode deixar o que já é bom melhor ainda. Apesar de algumas críticas não muito agradáveis eu dei uma chance para a série e gostei, dei meu voto de confiança e acho que a série tem muito para render ainda.

Dirty Sexy Money: Com The Birthday Present, a série voltou um pouco morna, num episódio um tanto quanto pobrezinho para o nível dos Darlings. Apesar de toda a sujeira criada em torno da esposa do Patrick, eu não vi nesse episódio aquele 'q' de 'qoisa boa' que eu via nos episódio da temporada passada. Mas felizmente isso foi só no primeiro episódio, por que o segundo, The Family Lawer, já teve uma dinâmica mais interessante, com a história da Letitia se afastando da empresa e dando a vaga para um dos filhos e ainda deixando a escolha a cargo do Nick. A história do Simon com a Karen está cada vez mais misteriosa e mais legal de acompanhar, e confesso que isso era algo que eu não achei que chegaria a falar. Além disso teve ainda a explicação do porque da Lucy Liu nessa nova temporada. No primeiro episódio a personagem dela estava um pouco perdida, mas o erro foi resolvido e ela já está completamente e devidamente encaixada na história. Em The Star Witness o que já estava interessante ficou ainda mais interessante com uma visita do Nick à mãe dele (numa excelente atuação da Caroline Lagerfelt, a avô da Serena em Gossip Girl) que mora no interior da França, para convencê-la a não depor contra a Letitia no caso da morte do Dutch. E a ponte aérea desse episódio não ficou só entre França e EUA, se estendeu ao Brasil também. Com o Brian fazendo uma visitinha ao Brian Jr. Detalhe que as imagens aéreas me mostram o Rio de Janeiro mas o lugar que o Brian Jr. mora, uma casa com arquitetura antiga, é algo parecido com Salvador, com direito a pelourinho e feira livre na frente da casa! Mas enfim, estou gostando dessa temporada e é uma pena que a série corra o risco de ser cancelada devido a baixa audiência para o nível da ABC.

Eli Stone: Essa era uma das que eu mais aguardava a volta. Depois de uma primeira temporada bastante agradável, com direito a muitos musicais e muitos casos interessantes, a série voltou com muito mais disso. Em The Path a série teve a coreografia mais empolgante de todas! E teve ainda uma história bacana com a possibilidade do Nate ter um aneurisma e toda aquela conversa do Eli com a psicóloga que iria reabilitar ele a exercer novamente as atividade em corte. Porém o caso explorado não foi sido assim tão interessante e ainda teve um péssimo efeito visual, sério, mais alguém já percebeu como é amador os efeitos na série? Os de desastre em especial! Mas enfim, o primeiro episódio se salvou pela história dos próprios personagens fixos, o que não é ruim, já que prova que o roteiro sabe manter o nosso interesse na história principal. Em Grace, o caso que o Eli defendeu foi muito interessante, um soldado que se alistou por vontade do pai, morreu em combate e o próprio pai queria o direito de não enterrar o filho nos moldes militares, o problema era que a mãe queria, briga de família sempre rende casos densos e particularmente interessantes. E quanto o caso aqui foi bacana, o história foi mais banal, com a entrada da Katie Holmes na vida do Eli, numa atuação 'just ok', porém em ótima forma, principalmente naquela cena do musical! Alguém sabe se a personagem dela volta para mais episódios? Apesar de banal acho que podia render uma história bacana. Potencial tem, se olharmos para a cena do Eli com o Nate, que é quando a gente descobre como ela foi parar na vida dele.

Samantha Who?: Outra série que eu estava ansiosamente aguardando a volta! E teve uma premiere fraquinha. Em So I Think I Can Dance, Samantha descobre que sabia dançar e muito bem, obrigada, antes da amnésia. Então decide tomar o lugar do pai no concurso de dança e tentar fazer a mãe vencer pela primeira vez. Porém ela descobre que não sabe mais dançar, por causa da amnésia e a confusão está feita. Em meio a isso ainda tem o Todd tentando sair do apartamente da Sam para que ela possa voltar para lá. Esperava mais desse episódio. Com Out of Africa a série deu uma melhorada considerável! Voltamos àquela velha luta, e ainda muito interessante, da New Sam tentando superar a Old Sam, mas se deixando pela influência da Andrea (adoroooo a Andrea!!) que gosta muito mais da Old Sam. A Samantha decide ir para a África ajudar os pobres mas alguns probleminhas inesperados acabam dificultando os planos dela ,que sem querer voltar fracassada para casa descobre um jeito de contornar o problema, não muito eficaz mas bastante divertido! Principalmente os resultados quando ela volta! E a cena dela com a Andre bolando um plano pra voltar da "África" é otima! Mas The Pill foi até agora o melhor episódio, com direito a muitas e muitas lembraças da bad Sam que foi convidada a participar de uma pesquisa que vai ajudar pessoas com amnésia. E além disso ainda tem ninguém menos que o excelente Tony Hale (o Buster Bluth de Arrested Develpment) no papel do médico da Sam!! E a Dena tirando sarro da Andrea pelo fato de terem achado que elas duas era um casal e a Andrea comendo corda da Dena falando que ela era a lésbica 'não-lésbica' mais gostosa do mundo e que conseguia pegar qualquer mulher. Hilário! Mas engraçado mesmo foi quando a Sam teve uma lembraça e uma mulher emprestou pra ela um batom laranja pra ela anotar na mão e não esquecer depois, tipo, seriously? batom laranja?! kkkkkkkk A reação da Sam foi o melhor! xD

8 comentários:

Vinícius P. disse...

Amo "Kath & Kim", para mim é uma das melhores estréias da temporada. Esse brinde ao aquecimento global foi ótimo. As melhores cenas até agora foi a traição de Kath com o sanduíche, o momento "Respect" do segundo episódio e, claro, a dança na boate gay. Adoro...

Dos outros, só vi os dois primeiros de "Dirty Sexy Money" e gostei muito, essa temporada promete.

Kamila disse...

Vou assistir à estréia de "Samantha Who?" na próxima semana, no Sony! Só não sei ainda quando "Dirty Sexy Money" irá voltar, no AXN.

No mais, tenho curiosidade em assistir "Kath & Kim" (apesar das críticas negativas) e "My Own Worst Enemy".

Petter disse...

Cara ainda não conferi Kath e Kim, essa série não tem nenhuma premissa boa, nem vou dar meu sagrado tempo ás irmas =P


Abraço!

euseries disse...

Desses só vi Samantha, começou fraco, depois melhorou um pouquinho e chegou ao auge em 2x03. Morri de rir.

Acho que vou dar um chance à Kath and Kim.

Marcel Gois disse...

Vinícius, esse momento "Respect" foi ótimo mesmo!! kkkk tinha até esquecido! E também acho que essa temporada de DSM promete, o terceiro episódio foi ótimo! Veja logo. =D

Kamila, como eu falei, Samantha melhorou mesmo no terceiro episódio, então pode ir sem esperar muito para a premiere. E Kath and Kim eu gostei, vi muita coisa negativa tb, mas li algumas positivas e não me arrependi de ter assistido. =D

Petter, sugiro que dê uma chance. Sério, é bem bacana e super rápida, daquelas de 25 min e talz, se não gostar nem vai ter perdido tanto tempo assim, mas é mt bacana! E elas não irmãs, são mãe e filha, como eu falei na sinopse. Abraço

Maurício, concordo quanto a Samantha, o terceiro foi até agora o melhor da temporada! E o pior é que eu to com pontos na boca por causa de uma cirurgia, fiquei até com medo de ter estourado algum, de tanto que eu ria, teve até que se risos contidos kkkkkk E quero ler o que achou sobre Kath and Kim lá no euséries depois!
Abraço

Lucas disse...

Kath and Kim é uma serie que eu estava interessado em ver mas li alguns reviews e nao gostei!

Já My Own... eu vi o piloto e gostei, nao muito mas a série parece que vai melhorar bastante... estou com o segundo episódio e estou baxando agora o 3º, so falta eu ver! HASUDHUHS!

Samantha Who finalmente estou conseguindo ver a primeira temporada e digo que estou adorando, vejo um episódio por dia e estou amando a série! e a unica comédia que consegui passar do sexto episódio!

Ricardo Rente disse...

Olá.

Sou Ricardo Rente do blog territórionerd.com e estou interessado em formar uma parceria com seu blog.

Caso esteja interessado entre em contato por territorionerd@gmail.com.

Aguardo sua resposta.

Um abraço!

Marcel Gois disse...

Lucas, também gostei muito de Samantha Who? na primeira temporada, mesmo nos episódios mais regulares eu achava a série engraçada!

Ricardo, entrarei em contato com você assim que puder.