!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

10 de agosto de 2008

Dexter Morgan, Eli Stone & Nancy Botwin

Que temporada maravilhosa essa de Dexter, hein? Eu tinha amado a primeira e mesmo assim demorei pra começar a assistir essa segunda, nem sei bem por que, mas o que importa é que eu assisti e amei. Eu me perguntei, depois que acabei a Season 1, como os roteiristas iriam manter a história pelas próximas temporadas, achei que ia ficar repetitivo um outro psicopata assombrando os morados de Miami, bom, continuo achando que iria, se o psicopata em questão não fosse o próprio Dexter. É nisso que se baseia essa última temporada. Que além de uma história principal super interessante também mantém, muito bem, as storylines dos coadjuvantes deixando espaço pra todo mundo brilhar. Cada um tem o seu momento, uns mais do que outros, até devido a importância dos papeis, mas duvido que algum ator tenha saído insatisfeito com história do próprio personagem. Até os novos personagens entraram com tudo na história e fizeram bonito. A única coisa que eu achei que ficou devendo foi (abro um parênteses aqui pra informar que se você, caro leitor, ainda não assistiu essa temporada, corra imediatamente para o Link mais próximo e faça o seu pedido ao Paul, e aí sim vocês estarão permitidos a continuar a leitura) o desenvolvimento da história do The Dark Defender. Será que teremos algo nessa próxima Season? =D



*****



Desde que ‘descobri’ Eli Stone, fiquei com um pé atrás a respeito de começar ou não a assistir a série. Eu tenho uma certa tendência a gostar de dramas sobre advogados afinal minha paixão pela área jurídica me trouxe a onde estou hoje (4º semestre de Direito). Mas o fato de existir uma série com uma premissa não muito convencional (um advogado com um aneurisma no cérebro, que tem visões sobre o futuro e a partir daí decide a quais casos deve se dedicar, visões essas que não possuem hora conveniente para se ‘mostrar’ indo desde festas de noivados até salas de reuniões e passando pelo tribunal, durante julgamento, vale frisar) me deixou desconfiado a cerca da combinação proposta. Porém minha curiosidade falou mais alto e eu me permitir acompanhar essa carismática história, cheia de personagens atraentes, desenvolvida de uma forma louvável sem cair no bizarro ou até mesmo no exagero. A série possui um roteiro inteligente, casos interessantes e bem desenvolvidos além de uma ótima produção. Sem falar nos musicais, ah os musicais, não falei deles né? Bom, essa primeira temporada é toda inspirada em canções do George Michael, que inclusive faz algumas participações em alguns 3 ou 4 episódios. Mas enfim, não dá pra deixar de conferir, eu nem acredito que eu ainda pensei em não conferir. Ainda bem que a curiosidade falou mais alto.



*****


Nesse novo episódio de Weeds teve mais coisas que funcionaram pra mim e do que coisas que não. A relação (violenta de novo) da Nancy com o prefeito foi uma das melhores coisas nesse episódio, será que a Nancy vai virar a primeira dama de “whatever city”? A linha ‘drogada’ da Célia foi muito bom, embora eu ache que a Perkins sempre rende mais quando está contracenando com alguém do elenco fixo, devo concordar que nesse episodio ela não faz feio sozinha (não que ela já tenha feito feio alguma vez, claro, só acho que a química dela com o elenco deve ser mais aproveitada). O serviço de coiote do Andy e do Doug começou interessante, sem receberem o pagamento, desse jeito vai longe hein? =D E o Shane sem aquelas fantasias incestuosas, Shane e a Isabelle sempre renderam boas cenas juntos e fiquei feliz com o resultado desse episódio para os personagens deles. O que não está funcionando pra mim at all é aquele romance do Silas com a Lisa, só espero que apareça algum de interessante pra dar mais movimento ao persongem do Silas, que pesando bem, nunca foi grandes coisas na série. Ainda assim não comprometeu o bom resultado do episódio.

13 comentários:

Vinícius P. disse...

Também achei excelente a temporada de "Dexter", tanto que foi minha preferida desse último ano. "Eli stone" ainda não acompanho, mesmo com todos os comentários positivos. Já "Weeds" teve um episódio muito bom na minha opinião, ao menos melhor que o anterior. Abraço!

Matheus Pannebecker disse...

Dexter é a melhor série em exibição!

Matheus Pannebecker disse...

Dexter é a melhor série em exibição!

Breno Adegas disse...

Cel,
Como ja t disse vaaarias vezes, Dexter atinge um nivel extraordinario apos o outro a cada temporada. estou ansiosissimo pela nova temporada.
Seguindo seu conselho, comecei a ver Eli e mesmo a premissa sendo bizarra, gostei bastante e vou continuar seguindo com certeza! =D
Weeds anda meio irregularzinha mesmo. Sinto falta da Celia dos tempos aureos das outras temporadas. O maximo que a gente consegue agora eh ela drogada com um personagem terciario?! come on, writers!

see ya!

cinefilapornatureza disse...

Não é porque sou fã das séries do Greg Berlanti, mas "Eli Stone" foi uma das boas surpresas desta temporada 2007-2008. Como você bem diz, a premissa é super diferente. O Eli é um personagem com uma empatia enorme e a gente se importa com ele. Fora que as alucinações musicais dele são mais que legais! :-)

Petter disse...

Ah sério cara? =/

HIMYM é tão legal por mim poderia ter 10 temporadas assim como Friends eu não iria ligar =P

Abç!

Marcel Gois disse...

Vinicius, também achei esse episódio de Weeds melhor que o anterior. E quanto a Eli Stone, eu recomendo. =D

Matheus, perfeita mesmo, neh? Também adoro!

Breno, que bom que gostou de Eli Stone. xD E realmente Celia contracenando com zés-ninguém(?) não rola.

Kamila, agora que você falou eu fui procurar e nem sabia que Brothers and Sisters e Dirty Sexy Money era do mesmo produtor de Eli Stone, acho que posso dizer que também tenho uma tendência a gostar do que ele faz. =D

Petter, realmente não acho que tem pique pra tanto. Mas adoro a série.

falsooperario disse...

Tenho muita vegonha alheia assistindo Eli Stone (olha que adoro Extras e The Office), então nem consegui passar do primeiro episódio.
Dexter teve uma temporada ótima, só achei que pecou na conclusão.
E Weeds... ah Mary-Louise Parker vale sempre a pena, mesmo quando o episódio não é tão bom.

Mundo de Séries disse...

Não gosto lá muito de Dexter, achei bastante aburrecido. Abraço ;)
http://mundodeseries.blogs.sapo.pt

Marcel Gois disse...

Lucas, também concordo que Weeds sempre vale a pena pela Parker, adoro os trabalhos dela.

Francisco, acho Dexter uma das melhores séries dos EUA, o nível da produção ali é alto. Mas respeito sua opinião. =)

cinefilapornatureza disse...

Marcel, o Berlanti também fez "Everwood" e "Jack & Bobby". :-)

cinevita disse...

Tô amando a primeira de DEXTER. Próximo fim de semana vou terminá-la. E mês que vem começo a segunda.

Ciao!

Marcel Gois disse...

Kamila, é verdade, ainda teve essas outras duas. Mas eu não assistia, por isso só comentei das outras. rsrs

Wally, você não vai se arrepender. As duas temporadas são perfeitas. A segunda mais do que a primeira, mas as duas são ótimas. Dexter Rocks!