!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

16 de maio de 2008

Half Nelson


Título Original: Half Nelson
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Ano de Lançamento: 2006
Direção: Ryan Fleck

Dan (Ryan Gosling) é um professor de História e técnico de basquete de uma escola do Brooklyn que ministra suas aulas com muita confiança, instigando seus alunos a pensar, indo além do currículo oficial, tentando estimular seus alunos, ajudando-os de uma maneira positiva. Porém sua vida pessoal é muito diferente, já que o vicio nas drogas só o ajuda a de maneira negativa o tornado uma pessoa insegura. Essa insegurança é aumentada quando uma de suas alunas – Drey (Shareeka Epps), uma adolescente que sofre com a ausência da mãe policial que nunca consegue folga e de um pai ausente e cujo único adulto que ainda olha por ela é Frank (Anthony Mackie), o traficante que mandou o irmão mais velho dela para a cadeia – o flagra fumando crack no banheiro da escola e o ajuda a não desmaiar, agindo com maturidade. Entre eles nasce um tipo de relacionamento que proporciona uma história humana e real. Dan que já lutava para manter em segredo seu vício passa a lutar também pela Drey, na tentativa de evitar que ela se envolva com o mundo das drogas.

O enredo parece ser de mais um dos tantos filmes americanos sobre um professor idealista que tenta libertar seus alunos do sistema opressor, e até seria se o idealista em questão não fosse o nosso adorável anti-herói viciado em crack. Vicio esse que não é explicado por não ser relevante, sendo preferível focar a história no relacionamento sincero entre o doutrinado viciado, que tinha tudo para se alguém na vida, mas está a caminho da auto destruição e a sua nova amiga com uma família ausente e convivendo em um ambiente sem estrutura nenhuma tendo tudo para acabar igual ou pior ao seu professor, mas que possui uma força inexplicável, capaz de se manter fora das drogas e ainda se preocupar com seu amigo problemático.


Sem grandes reviravoltas, porém construído sob um roteiro sensível, o longa não deixa de ser uma ótima oportunidade para os atores brilharem. O que na verdade é um dos grandes méritos do filme. Ryan Gosling impressionou a crítica naquele ano, ganhando respeito, com uma atuação muito consistente e sem cair no exagero, o que seria fácil com o personagem que lhe foi oferecido. Provou o grande ator que é sendo considerado um dos melhores atores da sua geração. Shareeka Epps, também merece todos os elogios por sua atuação. A cara de “durona” e o sorriso de moleca estão lado a lado no rosto da garota de 13 anos que está sempre com um doce na boca. E além de tudo a química entre eles convence.

É um filme simples na exposição mas muito complexo na argumentação. Uma boa pedida se você quer um filme humano, sincero e real, sem vilões super maquiavélicos e sem mocinhos perfeitos. Com atuações surpreendentes e um roteiro sério e enxuto.

Cotação: 8,0

7 comentários:

Kamila disse...

Marcel, esse filme foi lançado por aqui??? Sou doida para assistir!

Conheço a Shareeka Epps do seriado "The Wire" e me lembro de ter ficado impressionada de ver o quanto ela tinha sido elogiada pela sua performance nesse filme.

Além disso, tem o Ryan Gosling, que é maravilhoso. Um dos melhores atores jovens da atualidade.

Bom final de semana!

Petter disse...

Cook arrebenta mesmo né cara.
Ele foi muito mais longe que qualquer participante ali, eu só to esperando ele sair e gravar logo um cd, ah meu deus eu realmente quero!

Vinícius P. disse...

Não entendo o motivo desse filme não ser lançado no Brasil, tive que ver por meios "alternativos" e adorei! O Ryan Gosling está excelente, aliás acho que merecia o Oscar de melhor ator - e Shareeka merecia ao menos uma indicação como coadjuvante. Bela crítica!

E seu blog já está na minha lista de links ;-)

Weiner disse...

Estou à espera deste filme há tantos séculos que vou mesmo adotar os diversos meios alternativos de se assistir um longa. Adoro o Ryan Gosling, grande ator mesmo. E o roteiro de "Half Nelson" é mais que interessante. Combinação perfeita.
Abraço!

Marcel Gois disse...

Kamila, o filme não foi lançado nos cinemas daqui nem nas locadoras, eu pelo menos não encontrei ele por aqui. Então tive que recorrer ao bom e velho download. E realmente, o Gosling é um dos melhores da geração. Um puta ator! Qnt a Epps esse foi o primeiro trabalho dela q eu vi, mas adorei!

Petter, também estou esperando ansiosamente por um cd do Cook.

Vinícius, como falei para a Kamila, também tive que recorrer a meios alternativos. E concordo quanto a Epps indicada. O Ryan vencer eu nãos sei pq ainda não vi o O'Toole nem o Whitaker. Mas entre DiCaprio, Smith e Gosling, escolho Gosling.
Aliás, puta injustiça ele não ter sido indicado esse ano. Ele está brilhante, mais uma vez, em "Lars and the Real Girl"

Weiner, você não vai se arrepender. É um filme que merece ser visto. Aliás, se gosta do Gosling, ainda recomendo "Lars and the Real Girl", outro filme muito bom. Divertido e tocante.

cinevita disse...

Fico revoltado sempre que leio sobre esse filme. Infelizmente não chegou aqui no Brasil. E olha que ele veio com bagagem do Oscar e um ator consideravelmente bem conhecido no papel título. Uma pena...vou ter que recorrer a outros meios para vê-lo, rsrsrs.

Ciao!

ps: seu blog é muito bom! Vou te adicionar também. ;)

Marcel Gois disse...

Wally, infelizmente não chegou aqui mesmo, o que nos leva a buscar meios alternativos, já que não temos outro jeito. Mas vale a pena =)

Vlw por add, seu blog também é muito bom!