!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

16 de junho de 2008

Lua de Papel

Título Original: Paper Moon
País de Origem: EUA
Gênero: Comédia
Ano de Lançamento: 1973
Direção: Peter Bogdanovich

Addie Loggins (Tatum O'Neal) está quieta no enterro da sua mãe, ao lado de poucas pessoas. Quando um homem desconhecido, Moses Pray (Ryan O'Neal), aparece, rouba as flores de outra lápide e diz ser amigo da falecida. Ao descobrir que ele realmente conhecia a falecida, as poucas pessoas, que estavam no enterro, sem saber o que fazer com a menina, pede que ele leve ela até a casa de uma tia. Mas no caminho ele tem a idéia de subornar o irmão do homem que atropelara a Senhora Loggins e acaba conseguindo duzentos dólares. Usando o ótimo pretexto de que esse dinheiro pertence a ela, Addie (uma garota esperta, mal-humorada e fumante aos nove anos!!!!) consegue permanecer ao lado dele que desiste da idéia de levá-la embora, após perceber que pode tirar vantagem nos golpes usando o rostinho bonito da menina (rende as melhores cenas do filme!).

Não demora até termos a confirmação de que Moses é realmente um vigarista de carteirinha. Ele viaja pelo Kansas com um carro cheio de bíblias de luxo, tem um dente de ouro em seu sorriso convincente e uma lista de mulheres que ficaram viúvas recentemente e que estão prestes a cair em um dos golpes dele. Juntos eles viajam aplicando esses golpes e se metendo em algumas deliciosas confusões. Ambos os personagens ganham força devido suas personalidades. Eles discutem durante todo o tempo, por causa de dinheiro e pelo hábito de Addie fumar escutando rádio novelas, por exemplo.

As atuações desse filme são excelentes. O Ryan O’Neal, que é mesmo pai da Tatum, está muito carismático no pele desse vigarista mulherengo. Por falar em mulherengo, ele acaba, teoricamente, se envolvendo, com uma dançarina que rende também uma boa trama para o filme e que é vivida por Madeline Kahn, que chegou a concorrer com Tatum O´Neal ao oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. Tatum se consagrou, em Lua Papel, como a atriz mais nova a ganhar o Oscar na história de Hollywood. Muito mais que natural, a menina está impressionante; domina todas as cenas do filme, ou com sua figura angelical ou com seus planos mirabolantes ou com sua conversa diabolicamente doce em alguns momentos.

Lua de Papel não trata-se apenas de uma comédia politicamente incorreta, também possui todos os elementos de um road movie com muitos planos longos e movimentos de câmera excepcionais. Tem um roteiro muito bem escrito (ganhou uma indicação ao oscar por melhor Adaptado) e diálogos excelentes. Ou seja, imperdível!

Cotação: 10,0

*****

Moses: Também tenho escrúpulos, você sabe o que significa escrúpulos?
Addie: Não, eu não sei. Mas se você tem isso, deve ser de outra pessoa.

9 comentários:

cinefilapornatureza disse...

Nossa, a primeira nota 10 do blog! Nunca assisti "Lua de Papel". Tenho curiosidade em assistir ao filme só mesmo para saber se a Tatum O'Neil mereceu ganhar o Oscar de Atriz Coadjuvante. Seu texto me diz que a vitória dela foi justa.

Lucas Santtos disse...

eai cara. nao me chamou a atençao o filme, talvez por seu um tanto quanto antigooo. nada contra, só nao faz meu estilo! HASDHSHDHSU!!!

Pedro Henrique disse...

Agora você pegou pesado, esse filme é muito bom. Excelente lembrança, Marcel.

Grande abraço!

Vinícius P. disse...

Gosto muito de "Lua de Papel", apesar de ter visto esse filme há séculos. Seus comentários me deixaram animado para uma revisão. Abraço!

cinevita disse...

Eu sempre tive vontade de ver esse filme e essa sua crítica só concretizou ainda mais minha ansiedade. Pena que seja um tão difícil de se encontrar.

Ciao!

Weiner disse...

Em "A Testemunha" aconteceu o seguinte: não tinha o filme para alugar aqui onde moro, mas para vender. E barato. Com "Lua de Papel" ocorre o mesmo. Quem sabe eu o compre? Adorei sua cotação. E a Tatum O'Neal ganhou Oscar neste filme...
Abraços, Marcel!

Sérgio Déda disse...

Nunca assisti, mas lembro de vc ter locado ele quando fomos a locadora juntos uma vez neh ..

Tenho q assistir esse.. e tb um q comentaram aih.. A Testemunha, do Peter Weir.. poxa tenho mt q assistir esse filme.. mas acabo esquecendo de locar rsrsrsrs

vlws

Red Dust disse...

É um belo filme. Concordo com a nota 10/10.

E quem diria que a Tatum O'Neal teria o papel da sua vida tão miúda, hem?

Abraço.

Ramon disse...

Oxa... 10?
Preciso conferir esse filme, com urgência!
Valeu pela dica. Abraço!