!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

17 de janeiro de 2010

Filmes do Mês | Dezembro



.
01. Up - Altas Aventuras [Pete Docter, Bob Peterson, 2009] A- (9.0)

"Rir, chorar, torcer pelos personagens… O roteiro pode ser genial, a animação também. Mas pra mim, uma animação morre sem uma boa trilha sonora. E Michael Giacchino mostra mais uma vez porque é um dos melhores compositores em atividade atualmente. Uma trilha simplesmente brilhante, que ajuda alguns momentos do filme a serem fantásticos. [...] Mas o melhor de Up é o fato de ser um filme feito com o coração. Hoje está cada vez mais raro vermos filmes assim, sinceros, que parecem ter sido feitos sem a intenção de arrecadar rios de dinheiro ou ganhar prêmios – claro que eles pensam nessas coisas, mas dá pra ver que não é a maior prioridade - e sim divertir e emocionar pessoas de todas as idades. É isso que torna Up um filme tão maravilhoso." [Marcelo, Comentando Cinema]

02. Guerra ao Terror [Kathryn Bigelow, 2008] A- (9.0)
"Desde sua primeira longa sequência fica claro que Guerra ao Terror não é um filme de guerra qualquer. A tensão dos dez primeiros minutos é tão intensa que é possível imaginar que seja apenas uma cena de impacto inicial, quando na verdade é uma mostra do que o espectador terá a cada momento das suas duas horas. A produção, que talvez seja a mais reconhecida do gênero desde Falcão Negro em Perigo, seguiu um padrão raramente observado nas outras tentativas de transpor os recentes conflitos no Iraque para as telas – e talvez por isso mesmo seja a mais bem sucedida de todas." [Vinícius Pereira, Central de Prêmios]

03. Lolita [Stanley Kubrick, 1962] A- (9.0)
"Quando se pensa não apenas no caráter atemporal de sentimentos como amor e obsessão, mas na criminalidade infantil e nos casos de pedofilia, envolvendo até membros do clero, percebe-se que é pouco provável que Lolita deixe de ser uma obra atual. E isso é provavelmente a maior conquista a que uma obra de arte pode almejar, pois críticos e opiniões vêm e vão, mas quem dá a última palavra é sempre o tempo. A única maneira digna de terminar essa resenha é lembrar a memorável atuação de Peter Sellers (ou mais uma delas) e dizer que, apesar de ser um dos filmes menos prestigiados do diretor, Lolita tem um mundo a oferecer ao espectador, se ele tiver estômago para embarcar na jornada." [Marcelo Dillenburg, Multiplot]





04. Avatar [James Cameron, 2009] B+ (8.0)
"Todos os clichês existentes na história do cinema aparecem aqui revigorados, como se Cameron desejasse ensinar à maioria de seus colegas cineastas (que parecem totalmente alienados quanto ao mundo em que vivem) que efeitos visuais bem conjugados enxergam no mais clássico dos enredos seu melhor parceiro. Também não surpreende a potência com que o filme se encaminha para seu desfecho, em outra metonímia de Cameron quanto à triste convenção criada pelos “artistas” (Gus Van Sant, Lars Von Trier, David Lynch) do cinema contemporâneo que pensam que todo o filme necessita de um final aberto para ser contemplado. Nada mais careta que isso, afinal. Um filme, assim como toda a obra de arte, já é naturalmente aberto desde sua alvorada." [Pedro Henrique, Tudo é Crítica]

05. Nome Próprio [Murilo Salles, 2007] B+ (8.0)
06. Julie & Julia [Nora Ephron, 2009] B+ (8.0)





07. O Grupo Baader Meinhof [Uli Edel, 2008] B- (7.0)
"Desde o começo do filme, o diretor Uli Edel opta por escancarar sua realidade. [...] O roteiro de Bernd Eichinger e com colaboração do próprio diretor, baseado em livro do jornalista Stefan Aust também não tem pena de ninguém. Além de ser direto, faz questão de mostrar cada personagem como ser humano, não como mártir, e lembra que qualquer ação armada é uma ação terrorista e criminosa, independente de quais são as intenções por detrás delas. Os personagens principais estão muito bem desenvolvidos e mostram suas características em passagens pontuais, como uma sopa de lagosta, um carro rápido, um bebê chorando ou um domingo na praia. O elenco, com grandes nomes do cinema alemão, está confortável, funciona bem e há química entre os protagonistas." [Cecília Barroso, Cenas de Cinema]

08. O Amor Não Tem Regras [George Clooney, 2008] B- (7.0)
“O Amor Não Tem Regras” é o terceiro – e mais charmoso – filme dirigido por George Clooney. O roteiro escrito por Duncan Brantley e Rick Reilly faz muita referência a filmes de comédias antigos e foi esta atmosfera que contagiou todo o trabalho desenvolvido pelo diretor. O longa não vai chamar a atenção do público por causa de grandes atuações. “O Amor Não Tem Regras” tem originalidade e uma reconstituição de época perfeita (com destaque para a trilha sonora de Randy Newman, que é deliciosa de se ouvir). O problema é que o filme tem um roteiro muito falho – talvez isto explique o fato de que a Universal Studios não lançou o longa na época prevista." [Kamila, Cinéfila por Natureza]

09. Desejo e Perigo [Ang Lee, 2007] B- (7.0)
O maior trunfo de Desejo e Perigo, depois da interessantíssima adaptação da obra de Eileen Chag pelos roteiristas James Schamus e Hui-Ling Wang, é o elenco. Tony Leung consegue passar toda a agressividade e a fragilidade escondida de seu personagem e tem um olhar que consegue dizer tudo sem usar as palavras. A novata Wei Tang também não decepciona e se entrega completamente ao papel. [...] Um modo diferente e poético de tratar toda a situação política de um país em um momento de pura tensão. E mais uma prova de que Ang Lee sabe como falar de amor, ainda que platônico ou complicado. [Cecília Barroso, Cenas de Cinema]

10. Amor à Queimarroupa [Tony Scott, 1993] B- (7.0)
11. Enquanto o Sol Não Vem [Agnès Jaoui, 2008] B- (7.0)
12. Chéri [Stephen Frears, 2009] B- (7.0)





13. Nunca é Tarde Para Amar [Amy Heckerling, 2007] C+ (6.0)
14. Domésticas [Fernando Meirelles, 2001] C+ (6.0)





.
15. Mandela - A Luta Pela Liberdade [Bille August, 2007] C- (5.0)
Conhecido pelo trabalho na adaptação de “A Casa dos Espíritos”, da escritora chilena Isabel Allende, Bille August realiza um trabalho irregular na direção de “Mandela – A Luta Pela Liberdade”, uma vez que ele não consegue aproveitar de forma adequada a interessante história que tinha em mãos. Outro grande problema do longa são as atuações inexpressivas do elenco principal – a performance mais marcante acaba sendo a participação especial de Faith Ndukwana como Winnie Mandela. [Kamila, Cinéfila por Natureza]

16. A Filha de Gideon [Stephen Poliakoff, 2005] C- (5.0)





17. Atividade Paranormal [Oren Peli, 2009] D+ (4.0)
Atividade Paranormal é o exemplo de mais um longa que sobrevive às custas da curiosidade do espectador. Provavelmente você vai querer vê-lo, mesmo depois de uma enxurrada de críticas negativas. Está na nossa natureza se encantar por este tipo de marketing. Só não crie expectativas, pois acho impossível alguém sair perfeitamente correspondido após o término da sessão. [...] andei lendo por aí algumas críticas, e uma delas aconselhou: “Segure-se na cadeira”. Realmente, é difícil não querer ir embora antes do fim, já que o longa é forte candidato ao título de pior filme de 2009. [Weiner Gomes, A Grande Arte]

18. Encontro de Casais [Peter Billingsley, 2009] D+ (4.0)

8 comentários:

igor disse...

muito bom o site vou deixar um tambem que gostei muito http//dawloadmix.blogspot.com

o daw-load mix

Vinícius P. disse...

Antes de mais nada estou muito agradecido por ter selecionado um comentário do meu blog =) Dos filmes listados, já vi:

Up - Altas Aventuras l B+ (8.5) ****
Guerra ao Terror l A- (9.0) ****
Avatar l A+ (9.5) *****
Julie & Julia l B- (8.0) ***
Desejo e Perigo l B+ (8.5) ****
Nunca é Tarde Para Amar l C- (6.0) **
Atividade Paranormal l C- (6.0) **

Abraço!

Kamila disse...

Dos que eu vi:

UP - ALTAS AVENTURAS - ****
AVATAR - *****
NOME PRÓPRIO - ****
JULIE E JULIA - **** 1/2
O AMOR NÃO TEM REGRAS - *** 1/2
DESEJO E PERIGO - ***
NUNCA É TARDE PARA AMAR - ***
MANDELA - A LUTA PELA LIBERDADE - **
ATIVIDADE PARANORMAL - *
ENCONTRO DE CASAIS - **

Valeu pelas citações!

Matheus Rufino disse...

Acho Lolita e The Hurt Locker infinitamente melhores que Up, é até uma heresia ele está acima deles, hehe. Eu até gostei do filme, mas considero-o um dos mais fracos da Pixar, os personagens e a história não me cativaram quase nada, dei nota 7.

Marcel Gois disse...

Matheus, eu tb acho esses dois melhores que UP. ahhaha nao tinha me tocado que ele tava em primeiro ali, tipo, fiz o post todo separado e dps fui juntando as partes e acabei enumerando alguns filmes sem me dar conta de ordem de preferência.. mas a ordem seria
Hurt Locker
Lolita
Up

Rafael Moreira disse...

Vi apenas estes três:
Up - Altas Aventuras ****
Avatar *****
Atividade Paranormal **
Abraço!

Wally disse...

Dos que eu vi:

Up: Altas Aventuras ***** [9.0]
Guerra ao Terror **** [8.0]
Avatar ***** [9.5]
Nome Próprio **** [8.0]
Julie e Julia *** [7.5]
O Amor Não Tem Regras *** [6.5]
Nunca é Tarde para Ama *** [6.5]
Atividade Paranormal **** [8.0]

Victor Nassar disse...

Cara, não faça isso, eu acho "Domésticas" muito bom! hahaha

Vi poucos filmes desses, mas..

Altas Aventuras *****
Avatar *****
Domésticas*************

ooorra, que exagero! hehe
Domésticas é nota 8,5 \o/