!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

5 de novembro de 2009

Filmes do Mês | Outubro




01. Distrito 9 [Neill Blomkamp, 2009] A- (9.0)

"A trama é focada em Wikus Van De Merwe, o qual é responsável por comandar toda a operação para a corporação MNU, a qual parece estar mais interessada no comércio das armas do que necessariamente nos direitos dos alienígenas. Nesse sentido, o roteiro acerta ao criar um paralelo com algumas organizações multimilionárias que realmente contribuem de maneira significativa para essa marginalização nos países subdesenvolvidos. Além disso, é possível observar as referências ao nazismo e xenofobia em geral, evidenciando que à medida que evoluímos parecemos retroceder em alguns pontos. A análise em torno do que Distrito 9 brilhantemente apresenta poderia render várias páginas, mas por hora vale comentar que é mesmo muito bem produzido e que desde já se une a Filhos da Esperança e Inteligência Artificial como uma das melhores ficções da década." [Vinícius Pereira, Blog do Vinícius]

02. Bastardos Inglórios [Quentin Tarantino, 2009] A- (9.0)
"O senso rítmico de Tarantino faz Bastardos Inglórios voar como uma das dezenas de balas disparadas no filme. (...) Se a vingança é outro tema batido pelo cineasta, ele sabe usar de forma coerente e balanceada para que as duas tramas não disputem a empatia do espectador. Tarantino faz a opção de não levar sua trama tão a sério quando exclui cenas de ação para impor seus geniais diálogos, impedido que ela chegue ao seu extremo de forma banal. Tarantino afirma de uma maneira irônica que o filme é sua obra-prima. Isso só o tempo nos dirá, mas é certo que o filme tem potencial e mérito suficiente para ganhar tal status. O cineasta não perdeu a forma que o tornou um dos maiores diretores do cinema contemporâneo, mesmo tropeçando em pequenos momentos no próprio ego, os acertos de Tarantino são tão geniais que suas gafes passam em branco." [Pedro Tavares, Cinem O Rama]

03. Grey Gardens [Michael Sucsy, 2009] A- (9.0)
Tecnicamente este telefilme de Sucsy é um deslumbre. Uma fotografia que tende ao perfeito, figurinos de acabamentos finos e uma maquiagem realista. Dois quesitos, porém, merecem destaque: trilha sonora e direção de arte. Aquela foi composta lindamente pela minha querida Rachel Portman e é uma surpresa a cada acorde. Fiquei em dúvida se falava sobre a cenografia aqui ou no parágrafo dedicado ao elenco. Afirmação estranha, não? Mas é a realidade. O design dado à casa de praia é tão complexo e interessante que sentimos que estamos diante de outro personagem. A direção de arte segue os atos do filme e declina da mesma forma que mãe e filha. Temos aqui um filme que não mostra a ascensão e queda de duas pessoas. Ele parte do princípio de que já estão num patamar bastante alto na sociedade e que tudo que um dia sobe, pode cair feio. E esta queda é mostrada a partir de uma mistura e posterior explosão de sentimentos da maneira mais genuína possível. [Kauê Oliveira, Bit of Everything]





04. Te Amarei Para Sempre [Robert Schwentke, 2009] B+ (8.0)
"Se disser que não há clichê estaria mentindo. No entanto sendo bem trabalhado o filme toma uma boa proporção. Creio que não seja fácil criar um roteiro desses em que haja tantas idas e vindas, ainda mais quando se trata de uma adaptação de um livro. Tudo foi bem trabalhado, como os momentos de comédia por exemplo. Também os momentos em que a seriedade é fundamental. Os momentos em que é a emoção que fala mais alto. Esse longa tem seus pontos altos e creio que as atuações, mesmo não sendo magníficas, mostra que foram bastante válidas até porque a química entre o casal foi firme. A trilha sonora não é muito presente e isso nos mostra um outro lado, mostra que é possível fazer emocionar sem uma trilha forte de fundo, assim como é possível rir sem ser apelativo e além de ser possível achar o filme agradável sem ser forçoso." [Robson Saldanha, Porta Cine]

05. O Ultimato Bourne [Paul Greengrass, 2007] B+ (8.0)





06. Salve Geral [Sérgio Rezende, 2009] B- (7.0)
"É um longa cujos caminhos do roteiro seriam melhor explorados através da linguagem do documentário, não sei porque cargas d'água Sérgio Rezende sentiu a necessidade de contar a história do movimento de presidiários que parou a maior cidade do País espalhando o caos e a violência através da ficção. Nesta decisão equivocada e fatal, Rezende insere o núcleo da personagem de Andréa Beltrão, que destoa de maneira evidente do resto da trama, articulando a dinâmica da personagem no filme de maneira mecânica e simplista, utilizando o desespero materno como guia exclusivo da conduta da personagem. É verdade que Andréa Beltrão está esplendida, administrando de maneira comovente e humana sua frágil personagem, mas não compensa a artificialidade e a falta de ritmo do texto de "Salve Geral"." [Wanderley Teixeira, Raining Frogs]

07. Uma Prova de Amor [Nick Cassavetes, 2009] B- (7.0)
"(...) ao alternar diversas vozes narrativas, oferecendo várias perspectivas sobre como a enfermidade de Kate afeta a vida dos Fitzgerald como família, você compreende que Brian, Sara, Kate, Jesse, Anna e Kelly estão todos chegando àquele ponto em que eles começam a perceber que a vida vai continuar, mesmo não sendo da forma como eles sonhavam, mesmo eles tendo que enfrentar uma grande perda. Um dos maiores receios em relação a uma trama desse tipo é que o diretor que a transporta para a grande tela exagere em certos pontos, criando um filme melodramático e manipulador. Felizmente, este não é o caso de Nick Cassavetes. (...) Nick sabe que o segredo está em colocar o foco nos personagens – neste caso, em particular, nos jovens Kate, Jesse e Anna, porque são eles que vão fazer com que os adultos enxerguem as verdades que eles se recusam a admitir. O resultado é que “Uma Prova de Amor” emociona sem ser piegas porque é verdadeiro." [Kamila, Cinéfila Por Natureza]

08. Gamer [Mark Neveldine, 2009] B- (7.0)
09. A Supremacia Bourne [Paul Greengrass, 2004] B- (7.0)
10. Último Tango em Paris [Bernardo Bertolucci, 1972] B- (7.0)
11. Young People Fucking [Martin Gero, 2007] B- (7.0)





12. 9 - A Salvação [Shane Acker, 2009] C+ (6.0)
"É um filme ousado em sua concepção e arte, mas ainda imaturo no desenvolvimento da história, que baseia-se no clássico modelo da Jornada do Herói, fazendo, inclusive, referência ao principal exemplar desse modelo, O Mágico de Oz, numa cena em que os bonecos estão num momento de “reflexão” da jornada e entra em cena a famosa música do filme de 1939, “Over the Rainbow”, utilizada aqui pela enésima vez num filme. Mesmo sem muita ousadia no roteiro, este desenvolve muito bem os seus clichês e referências. (...) Não marca uma revolução na linguagem cinematográfica, mas surpreende na riqueza de detalhes e cumpre com louvor o quesito principal a que se propõe: diversão. Se fosse em 3D, seria melhor ainda. Shane Acker ainda não tem a coragem de Tim Burton (que faria um filme bem mais profundo), mas demonstra ser um bom discípulo e está no caminho certo. Burton soube em quem investir." [Fred Burle , Fred Burle no Cinema]





13. A Erva do Rato [Júlio Bressane, 2008] D+ (4.0)
14. Boy Culture [Q. Allan Brocka, 2006] D+ (4.0)

6 comentários:

Vinícius P. disse...

"Distrito 9" é mesmo um belo filme, feliz por saber que o apreciou tanto quanto eu (e obrigado pela citação). "Grey Gardens" também é uma maravilha, mas gostei mais de "A Supremacia Bourne". Preciso ver o do Tarantino!

Kamila disse...

Dos que eu vi:

Distrito 9 - ****
Bastardos Inglórios - *****
Grey Gardens - ****
Te Amarei Para Sempre - *** 1/2
O Ultimato Bourne - ****
Salve Geral - **
Uma Prova de Amor - **** 1/2
A Supremacia Bourne - ****
Último Tango em Paris - ** 1/2
9 - A Salvação - ***

Obrigada pela citação, hein??

Airton disse...

bomm bastardos eh oq eu mais quero ver
hehe
voltei com o blog

http://publicandobr.blogspot.com/2009/11/imagens-da-guerra.html

Wally disse...

Vi quase nada:

Bastardos Inglórios ***** (9.5)
O Ultimato Bourne ***** (9.0)
A Supremacia Bourne **** (8.5)

Lucas Alves disse...

Oi Marcel!

Ainda não pude conferir Bastardos Inglórios e nem Distrito 9, mas estou hiper ansioso pra vê-los.

Abraços!

Nekas disse...

Concordo com quase todas as tuas pontuações dadas...
O district 9 e inglorious basterds estão excelentes...

Bom Blogue

Abraço
http://nekascw.blogspot.com